terça-feira, 13 de março de 2007

É mesmo?

Uma linda garota da vila ficou grávida. Seus pais, encolerizados, exigiram saber quem era o pai. Inicialmente resistente a confessar, a ansiosa e embaraçada menina finalmente acusou Hakuin, o mestre Zen o qual todos da vila reverenciavam profundamente por viver uma vida digna. Quando os insultados pais confrontaram Hakuin com a acusação de sua filha, ele simplesmente disse:

"É mesmo?"

Quando a criança nasceu, os pais a levaram para Hakuin, o qual agora era visto como um pária por todos da região. Eles exigiram que ele tomasse conta da criança, uma vez que essa era sua responsabilidade.

"É mesmo?" Hakuin disse calmamente enquanto aceitava a criança.

Por muitos meses ele cuidou carinhosamente da criança até o dia em que a menina não agüentou mais sustentar a mentira e confessou que o pai verdadeiro era um jovem da vila que ela estava tentando proteger.

Os pais imediatamente foram a Hakuin, constrangidos, para ver se ele poderia devolver a guarda do bebê. Com profusas desculpas eles explicaram o que tinha acontecido.

"É mesmo?" disse Hakuin enquanto devolvia a criança.

2 comentários:

Pema Lodrön disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ribamar Lopes disse...

"Rahula, aprenda com a terra. Se as pessoas espalham flores fragrantes e puras, ou derramam perfume, ou leite fresco sobre ela, ou ainda, descarregam fezes imundas e malcheirosas, urina, sangue ou aversão."
Buda para o seu filho Rahula
Trecho do Livro Velhos Caminhos, Nuvens Brancas - Seguindo as pegadas do Buda - Thich Nhat Hanh, Ed. Bodigaya, 2007, RS, pg.256.